A influência da análise fundamentalista

Sabemos que no mercado de ações, os preços das ações são afetados principalmente pela lei da oferta e demanda, a qual consiste no princípio de que quando há mais compradores, a ação tende a subir e quando há mais vendedores, a ação tende a cair. Fora isso, existem outros fatores que também...

Leia Mais

Como declarar o imposto de renda?

Posted by admin | Posted in Estratégias com ações | Posted on 20-05-2014

Tags:como investir?, imposto de renda, mercado de ações, mercado de investimentos

0

Uma etapa muito importante para quem investe no mercado de ações além de ter que  administrar seu capital, realizar o controle de suas operações, buscar oportunidade de compra e venda é saber declarar o imposto de renda.

O recolhimento do imposto de renda para investidores do mercado de ações ainda é assunto a ser tratado devido a dúvida de muitas pessoas quanto ao limite a ser declarado, a taxa de incidência do imposto, como realizar a apuração do lucro obtido e quanto a realização do cálculo.

A apuração e o recolhimento deve ser realizado sempre até o último dia do mês subsequente a operação que gerou lucro. Por exemplo:

Uma operação que gerou lucro de R$2.100,00 no mês de maio 2014, gera um imposto a ser recolhido de R$315,00 (15% de R$2.100,00) até o último dia do mês de junho de 2014. Veja nesse exemplo que a operação que gerou uma movimentação lucrativa permitiu que o imposto a ser pago fosse calculado a partir do valor do lucro, ou seja R$2.100,00.

O pagamento do imposto pode ser realizado pelo DARF, Documento de Arrecadação de Receitas Federais. A emissão da guia a ser preenchida pode ser realizada pelos meios:

1. Internet Banking: Acessando seu banco pela internet, na seção de pagamentos, impostos e tributos localize DARF conforme mostra a figura:

 fig4

 

2. Sicalc: Esse programa fica disponível no site da Receita Federal através do menu Cidadão > Pagamentos e Parcelamentos. Com esse programa fica mais fácil realizar o cálculo do imposto a ser pago, bem como a impressão da guia utilizada para declaração dos valores. Exemplo:

 

fig5

 

O preenchimento no DARF depende do meio utilizado para a geração do mesmo exemplo: Internet Banking, Sicalc. Utilizando o DARF comum os campos a serem preenchidos respondem ao que segue:

 

1. Nome/telefone: Nome Completo e telefone do contribuinte;

 

2. Período de Apuração: Campo que compreende o mês na qual foi gerado lucro da operação deduzida para o recolimento. O formato correto aceito é DD/MM/AAAA;

 

3. CPF ou CNPJ: número de inscrição de pessoa física ou jurídica;

 

4. Código da Receita: o código do recolhimento para ganhos líquidos na bolsa de valores sendo o nº 6015;

 

5. Data de Vencimento: esse campo visa identificar o último dia do mês

subsequente a apuração do IRPF sobre o lucro líquido gerado. Deve ser utilizado o mesmo formato conforme item 2;

 

6. Valor Principal: Valor do imposto;

 

7. Multa e Juros: valor dos juros no caso de atraso, ou seja, período após o último dia do mês subsequente proporcional ao que ultrapassou a data limite de pagamento;

 

8. Valor Total: o mesmo que Valor Principal;

 

Com o preenchimento em mãos dos respectivos campos, o pagamento pode ser feito  em qualquer agência bancária concluindo o procedimento necessário desse período. Os demais períodos necessitam do mesmo procedimento quando assim houver constatação de lucros acima dos limites estabelecidos pela Receita Federal que devem ser acompanhados para apuração para o devido recolhimento posterior, evitando multas e despesas na declaração.

 

Portanto mantenha sempre uma planilha de balanços para acompanhamento do fluxo financeiro gerado no mês, pagamentos a serem realizados, impostos, lucros líquidos, origem do lucro, custos gerados etc. Dessa forma fica mais fácil identificar as  obrigações com o governo e administrar seu capital e seus investimentos.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Erros de investidores iniciantes

Posted by admin | Posted in Principal | Posted on 19-02-2013

Tags:erros de iniciantes, erros de investidores iniciantes, investidor iniciante

0

Quando vamos iniciar no mercado de ações, ou em qualquer outro negócio, é muito comum cometermos os famosos “erros de iniciantes”. Nesse post vamos falar um pouco desses erros que com certeza muitos investidores, até mesmo investidores hoje bem conceituados acabaram cometendo no início de suas carreiras. Devemos sempre aprender no mercado, mesmo que o aprendizado venha de erros, é sempre bom extrair experiência destes erros, pra nunca mais cometê-los novamente.

Erro 1 : Envolver suas emoções na bolsa de valores

Um erro que eu considero bem comum e que acredito que todo mundo já cometeu um dia, e até hoje ainda comete, é o erro de se envolver emocionalmente na operação, por exemplo: Você aplica seus únicos R$ 2.000,00 em PETR4 a R$ 20,00, e então PETR4 começa a cair e quando ela chega a R$ 19,80, você pensa:

“Ah, já perdi muito, acho que vou sair dessa operação”.

Então vende no desespero a R$ 19,80 e vê a ação subir novamente buscando R$ 20,10, R$ 20,30, etc. O que aconteceu aqui? Você comprou em um topo, e vendeu no suporte (possívelmente na minima do dia), só que o fez no desespero e acompanhando o mercado na torcida pra ele subir. Devemos aplicar com estratégias pré-definidas de entrada e saída, e deixar o mercado trabalhar. Ou seja, definir o ponto de compra (start de compra), o ponto de lucro (stop gain) e o ponto de prejuízo (stop loss – que é o máximo que você aceita perder na operação). Após definir isso, é só enviar e esperar o mercado se movimentar, você só vai olhar pro home broker agora quando sua operação atingir o stop loss ou o stop gain.

Erro 2: Agora virou uma questão de honra!

Vamos supor que VALE5 esteja em tendência de baixa, e você passou a semana toda fazendo operações de compra nela, porém de 10 operações realizadas, 9 foram de prejuízo. Então você passa a querer meio que se vingar da ação, insistindo no erro de comprar uma ação em tendência de baixa, ao invés de procurar uma alternativa melhor ou até mesmo operar vendido no caso. Essa é uma forma de envolver o emocional na bolsa de valores também e muita gente acaba cometendo esse erro e não vê que está obcecado pela ação e por “se vingar” dela, por incrível que pareça, isso é uma realidade.

Erro 3: Investir no mercado de opções

Calma, não há nada de errado em operar opções, a menos que você tenha pleno conhecimento desse mercado, e saiba que o prejuízo máximo que você pode ter, comprando e vendendo opções a seco é de 100%. Exatamente, você pode perder todo o valor investido se resolver investir em opções a seco. Então quando se está começando a aplicar na bolsa de valores, não recomendo a compra e venda de opções a seco no mercado, comece sempre com ações e ao trabalhar com opções, lembre-se que elas foram feitas pra realizar operações de taxa e proteção de capital, como a venda coberta por exemplo, já comprar e vender opções a seco é arriscado demais, portanto se for fazer, faça com uma parte pequena do seu capital e jamais aplique seu capital todo.

Erro 4: Segurar posição perdedora achando que vai voltar a subir

Você compra PETR4 a R$ 25,00 com objetivo de sair a R$ 27,00, mas algo da errado e ela já está valendo R$ 22,00. Mas você se mantém comprado pois acredita que ela pode se recuperar. O caso é que pra você sair no 0 a 0, ela teria que subir muito agora, e pra ter lucro então, teria que subir bastante, mas enquanto isso você mantém a posição perdedora, não só perdendo dinheiro como também perdendo tempo, sendo que você poderia assumir o prejuízo e buscar uma oportunidade mais lucrativa a curto prazo. Um swing trader deve pensar assim. No caso se você investe na empresa a longo prazo, não precisa se preocupar muito com a cotação dos papéis, pois aí o foco já é outro (dividendos / juros / taxas de venda coberta).

Bem, na verdade existem vários erros cometidos por investidores iniciantes. Então estaremos escrevendo e comentando mais erros, nos próximos posts. Se você tem algo a acrescentar, comente abaixo.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Bolsa de valores – candles na analise tecnica

Posted by admin | Posted in Estratégias com ações | Posted on 21-01-2013

Tags:bolsa de valores, candles na analise tecnica, mercado de ações

0

Bolsa de valores – candles na analise tecnica


Analisando oportunidades na Bolsa de Valores

A Bolsa de valores oferece muitas oportunidades de investimentos através dos candles na analise tecnica que auxiliam no acompanhamento das principais empresas e dos índices que são diariamente estudados.

A analise tecnica oferece a compreensão dos movimentos do ativo, sendo que a posição de cada candle sofre variações em cada pregão podendo sinalizar o momento atual na Bolsa de valores e dos ativos.

Vamos entender um pouco mais os tipos de candles existentes e suas formações. Os candles na analise tecnica possuem algumas características como: tamanho do corpo, tamanho da sombra inferior e superior, posicionamento do preço de fechamento. Essas características nos dão um parecer sobre a força compradora e a força vendedora que está mais presente.

Força compradora
A formação do candle pode indicar quando existe uma força prevalescendo sobre a outra. Por exemplo: Um candle indica uma força compradora quando temos um candle de alta branco, em sua formação com um corpo grande cujo preço está próximo da máxima em um gráfico.

bolsa de valores - candles na analise tecnica

O candle branco formado indica forte ação compradora com chances de uma valorização nos preços e força em relação aos vendedores.

Força vendedora

Ao contrário da força compradora, a força vendedora é representada pelo candle de baixa preto, em sua formação com um corpo grande cujo preço está próximo da mínima.

bolsa de valores - candles na analise tecnica

Existe também os casos em que é possível constatar fraqueza de compradores e fraqueza de vendedores.
A fraqueza de compradores será entendida quando existir uma sombra acima de um pequeno candle próxima da mínima. Indicando uma possível caída nos preços das ações nas próximas sessões.

bolsa de valores - candles na analise tecnica

A fraqueza de vendedores é identificada pela sombra abaixo dos candles acima próximo da máxima de realização do preço naquele dia.

bolsa de valores - candles na analise tecnica

Existe o fato entre o equilíbrio dos compradores e vendedores onde causa um momento de indecisão na tomada de preços e no movimento dos candles sucessivos. Este momento geralmente deve ser bem acompanhando para a tomada de decisões e pode apresentar riscos caso os movimentos realizados não estejam dentro de nossa estratégia de realização de lucro.

bolsa de valores - candles na analise tecnica

A condição para ser conhecer é sempre traçar um objetivo e com isso observando as tendências de formações em cada candle confirmar nossa posição para investir. O momento de se investir na bolsa de valores é determinado por essa análise e quando bem estudada as oportunidades são melhor aproveitadas. Para saber mais visite: Equipe Trader

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Como funciona o desdobramento de ativos?

Posted by admin | Posted in Estratégias com ações | Posted on 03-09-2012

Tags:ações, desdobramento de ações, lote de ações

0

O mercado de ações é influenciado a todo momento por uma infinidade de dados estatísticos, técnicos, econômicos, sociais e politicos, aos quais influenciam até nossas decisões de operar modificando os valores dos ativos negociados. Empresas estão em alta a todo momento como também em baixa e isso percorre na vida da maioria dos traders que acompanham o mercado, buscando a melhor solução em suas operações.

As ações são modificadas em seus valores, mostram crescimento quando os investidores começam acreditar no potencial da empresa e responde com sua valorização aberta. Como também decaem devido a notícias alarmantes na queda de uma produção ou estimativa de resultados inviáveis ao que se foi anunciado, como foi o caso da empresa OGXP3 em Conferência aos resultados esperados para extração de barris de petróleo em Tubarão Azul.

O desdobramento de ações ocorre quando o lote padrão de uma empresa está com um custo muito alto, impedindo o fluxo de compra de investidores. Por exemplo: Suponha que voce tenha que comprar 100 açoes de uma empresa a R$130,00. Qual seria o valor a ser aplicado?.
O valor correto para a compra de apenas 1 lote será de R$13.000,00. O valor em questão é bem alto e pode significar para muitos investidores uma dificuldade. As empresas realizam o desdobramento viabilizando melhor o volume de negociação, justamente pelo preço alto mostrado tornando sua ações mais acessíveis.

Quais seriam as causas disso para um investidor que já tenha adquirido as ações antes de um desdobramento?.
Simplesmente ele aumentaria sua quantidade de ações em custódia a um preço menor sem alterar o valor do capital.Para saber o preço que uma ação teria após um desdobramento, podemos calcular conforme exemplo:
Tendo uma ação da BVFM3 à R$50,00, a empresa anuncia que haverá um desdobramento de 200% sempre em forma percentual para essa ocorrência. Então como ficaria o preço ? Nesse caso, veja que o anúncio será de 200% ou seja, voce terá 3x mais ações que antes, cujo valor será de R$16,40. Agora veja a tabela vinculada as outras porcentagens caso fosse anunciado o desdobramento:

Valor atual : R$50,00
Capital investido em 1 lote : R$5.000,00

Desdobramento     Qtdade               Novo Valor
100%                          200                         R$25,00
200%                          300                        R$16,67
300%                          400                        R$12,50
400%                           500                       R$10,00

Um desdobramento de 100% permitiria duplicar o que voce tem, levando a 200 ações, como que um desdobramento de 200% seria 3 vezes mais o que voce já tem levando a ter 300 ações assim por diante.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

OGXP3 cai mais de 25% em 1 dia, o que fazer?

Posted by admin | Posted in Principal | Posted on 27-06-2012

Tags:baixa na ogxp3, gap de baixa em ogxp3, ogxp3, queda de mais de 25% ogxp3, queda em ogxp3

0

Hoje presenciamos na OGXP3, um GAP de baixa de mais de 25%. Além disso, ontem a OGXP3 estava em queda já, o que acabou prejudicando ainda mais os comprados. A queda ocorreu por um fator fundamentalista, onde a empresa emitiu uma nota aos investidores informando que a produção diária de barris de petróleo nos poços produtores (OGX26 e OGX68) em Tubarão Azul, será de 5 mil ao invés de 8,5 mil como esperado anteriormente pela maioria.

Eu estava comprado, e agora, o que eu faço?

Essa é uma pergunta um pouco complicada, pois é necessário avaliar primeiro seu objetivo ao comprar OGXP3. Se você comprou pra realizar operações de swing trade (curto prazo), o ideal seria posicionar um stop perto da mínima de hoje, e aguardar a ação pra ver se ela recupera esse GAP de baixa. Geralmente quando ocorre GAPS de baixa, sempre há uma correção no mesmo dia, inclusive acredito que ela já está ocorrendo agora pois enquanto escrevo esse texto, OGXP3 está valendo R$ 6,30, sendo que a mínima foi R$ 5,91.

Senão houver recuperação, pelo menos seu stop será ativado, e você poderá buscar outras oportunidades no mercado. O jeito é não se desesperar, posiciona o stop e espera o mercado. Se você investiu uma grande quantia em OGXP3, o ideal é rever o valor a aplicar nessa empresa também, pois vemos que é um ativo muito volátil, então se ele sobe 5% em um dia, também poderá cair 5% no mesmo dia.

Se você está comprado a longo prazo, não há muito o que se preocupar. O jeito é ir fazendo venda coberta e ir comprando todo mês um lote de OGXP3 pra fazer preço médio. Todos sabemos que OGXP3 hoje em dia é um dos melhores papéis pra venda coberta, devido a forte oscilação, as opções OTM se tornam mais atrativas. Então se você está a longo prazo, vá lançando coberto e recomprando novas ações a um preço menor, que futuramente você sairá muito no lucro.

Confira o vídeo do Osney, da Equipe Trader onde ele fez uma análise e comentou o caso da OGXP3:

 

Vote no Osney, como melhor professor de análise técnica, do mercado: http://br.advfn.com/awards/2012/candidatos/osney-cola

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Escalas aritméticas e logarítmicas

Posted by admin | Posted in Principal | Posted on 21-05-2012

0


Durante a análise para realização de um investimento, nos deparamos com variações gráficas que permitem a um acionista ter informações específicas sobre um desempenho, um resultado ou mesmo um levantamento mais detalhado.

A forma em que são apresentados os dados gráficos se faz de grande importância para um planejamento, uma estratégia, tendo em vista a visualização específica de uma empresa. Alguns gráficos são mais específicos que outros por apresentarem esquemas apropriados para cada situação por exemplo: longo prazo, curto prazo,  médio prazo .

Mas o que são as escalas gráficas logarítmicas?

As escalas são as medidas utilizadas em meio a um gráfico para o levantamento estatístico de um bem, ativo negociável no mercado e que possui variação por fatores econômicos, políticos e financeiros. No caso das escalas logarítmicas é possível perceber a escala percentual dessa variação no eixo y de uma ação, ou seja o percentual de crescimento ou queda retida em um período. Assim sendo, obtém-se a movimentação financeira de crescimento com dados conclusivos como: crescimento em 12,5%  em 03 dias de pregão ou 100% de superação em relação ao mesmo período do ano anterior etc.

Exemplo :

Uma ação valendo R$24,00 reais está em tendência de alta e até o fim da semana garantirá um preço de R$26,00 reais para a realização de uma operação. Assim sendo houve uma valorização de 8,5% com possibilidade de visualização em escala gráfica. Portanto a possibilidade de visualizarmos medidas percentuais em um período é garantida.

A escala aritmética é conhecida pela apresentação numérica de dados relacionados aos preços de um ativo. Por exemplo: Uma ação da empresa X está valendo R$15,05 reais tem uma forte alta durante o mês alcançando um topo de R$31,00 reais. Assim sendo na medida logarítmica é possível determinar um crescimento de 100% com 15 unidades da escala y(preços) na unidade aritmética. As unidades aritméticas de medidas são as mesmas quando queremos mostrar o crescimento de 5 para 6 como de 500 para 600, mas na logarítmica isso representaria um crescimento de 20% e 800 para 900 seriam 100 unidades da medida de y com 12% de crescimento na escala logarítmica.

Perceba que existe realmente uma diferença entre os dados. A medida aritmética se utiliza de uma razão numérica entre o preço atual e seu crescimento sendo que a logarítmica se baseia sempre na medida percentual desse espaço com base no preço em que ela apresenta agora. Utiliza-se a medida logarítmica quando precisa-se analisar um conjunto de preços em grande escala para se obter melhor detalhe de qual foi o resultado em períodos buscados determinando se o investimento será dado como líquido durante a operação com retorno estimado .

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Qual é seu perfil de investidor?

Posted by admin | Posted in Estratégias com ações | Posted on 05-03-2012

Tags:curso de análise gráfica, investidor agressivo, investidor conservador, perfil de investidor

0

No mercado de renda variável, existem várias formas de investimento permitidos e conforme são identificadas essas opções as quais são realizadas as aplicações podemos identificar perfis de investidores.

Você iniciante, provavelmente que deseja o conhecimento do mecanismo de ação, deve ser um investidor cauteloso (conservador) permitindo-se sempre evitar riscos maiores para conhecer mais e mais o mercado para se tornar um investidor experiente.

A decisão de investir é uma alternativa que define a escolha por crescimento e a forma em que será aplicado seus rendimentos definirá o resultado que se deseja obter .

Existem três tipos de investidores que podem ser definidos pelas ações as quais estão dispostos em relação aos riscos e as formas de aplicação :

Conservador:  O cliente conservador é aquele que se define pela preferência na segurança de suas aplicações. Geralmente o conservador enxerga os riscos como possibilidades reduzidas de ganhos e assim, varia seus investimentos na opção pela renda fixa, considerando sempre os juros baixos que suas aplicações estão expostas e assim também com menos ganhos. Podem também assumir pequenos riscos no mercado de ações colocando pequenas parcelas de sua renda na compra de ativos.

Dinâmicos (Agressivos): O cliente dinâmico assume riscos maiores, estando disponível a exposição de investimentos com estratégias que envolvam maiores riscos em que podem oferecer melhores oportunidades no mercado de ações medidas de curto a médio prazo. A rentabilidade no mercado de ações é a busca maior por esses clientes, mas podem considerar parte de seus investimentos também na renda fixa, tendo em vista que é sempre muito arriscado investir 100% de um patrimônio financeiro evitando um fundo de segurança como controle . Alguns exemplos de investimentos arriscado pode ser reconhecido pelas aplicações de day trade e venda descoberta.

Moderado (estratégias moderadas): É aquele investidor que atua de forma a investir tanto na renda fixa como na renda variável, procurando sempre caminhos seguros que ao mesmo tempo forneça uma rentabilidade considerável. Procura rentabilidades acima da média e considera a segurança como opção para investir.  Exemplo de investimentos moderados : fundos de renda fixa, fundos balanceados, títulos públicos.

Seja qual for sua característica de investidor, tenha sempre em mente a forma de atuação segura para seu patrimônio, garantindo sempre uma posição de antecipação a riscos desnecessários. Analisando os riscos de se aplicar de forma aleatória se obtém um quadro do que realmente compensa naquele momento. Portanto não invista por investir, trace os objetivos a serem alcançados, planeje os riscos de se atuar em determinado mercado verificando suas possibilidades e oportunidades, confira a situação e tenha sempre seu capital garantido.

Para qualquer tipo de investidor, conservador, moderado, agressivo, etc, é recomendável fazer um curso de análise gráfica pois o curso ensina além de trabalhar com gráficos, mas também mostra que todo investimento que você faz, assim como tudo que você faz na vida, precisa ter um objetivo. Não se compra uma ação por comprar, por achar que ela vai subir, é o seu dinheiro que está em jogo, portanto é necessário aprender a investir com objetivo, técnica e profissionalismo.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

A importância da análise técnica

Posted by admin | Posted in Estratégias com ações | Posted on 08-01-2012

Tags:a importância da análise técnica, análise técnica, resistência, suporte

0

Todo investidor preocupado em obter total controle sobre seus rendimentos, necessita conhecer meios pelos quais poderá identificar momentos de importância dentro do mercado, ou seja, sabendo identificar momentos para que se realize uma operação e se obtenha resultados satisfatórios.

A ferramenta que estou a dizer é a “análise técnica” e sua estrutura para identificação daquilo que nos interessa. O investidor utiliza essa ferramenta gráfica e com ela é possível acompanhar o comportamento de determinado ativo por meio de seus “zig-zags” os quais a forma em que são representados nos indica uma LT (linha de tendência) para anteciparmos alguma posição em que nos encontramos.

Esteja certo que, essa ferramenta é muito utilizada e saber usá-la a favor da forma em que você investe atualmente é decisiva para colher resultados. Você que é um investidor iniciante, precisa saber que não basta ter em mente a empresa que vai investir seu capital sem antes ter consultado a forma em que atua essa empresa. As formas que devem ser analisadas determinam as influências que seus investimentos terão podendo ser positivos ou negativos.

Sempre digo que não vale a pena entrar no mercado arriscando muito para ganhar pouco e que sua entrada só deve ser feita se antes foi possível constatar melhor Risco x Ganho para esse ativo. Dentre os aspectos a serem analisados em uma empresa está no produto que trabalha, liquidez de mercado, impacto econômico, histórico dos últimos períodos, relatórios trimestrais de resultados comparativos em relação a outros períodos etc.

A análise técnica identifica exatamente esses pontos de comportamento em que uma ação está passando conhecidos como:  suportes e resistências.

Suporte: É quando a ação para de cair, e volta a subir. O suporte nesse caso representa o menor ponto no gráfico desde que a ação parou de cair e retomou a subida. Ex: Se a ação estava em R$ 22,00 e caiu para R$ 21,20 e voltou a subir, o suporte está no preço R$ 21,20.

Resistência: É o contrário de suporte, quando a ação sobe até um ponto e a partir dai começa a cair, nesse caso resistência é o maior ponto que a ação chegou pra depois começar a cair. Ex: Se a ação estava em R$ 22,00 e subiu para R$ 23,00, e depois voltou a cair, a resistência seria R$ 23,00.

Podemos perceber dentre esses comparativos que o mercado nunca se movimenta em uma linha reta , mas sim de forma oscilatória onde seu comportamento gráfico mostra momentos de alerta que o investidor pode tomar em conhecimento para alcançar resultados e se proteger.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Quais os efeitos da crise econômica?

Posted by admin | Posted in Principal | Posted on 11-12-2011

Tags:crise financeira, crise na bolsa de valores, efeitos da crise econômica

0

O Atual problema que estamos vivendo pela economia mundial é muito sério e seus efeitos estão em escalas alarmantes para todos os países. A chamada “Dívida Pública” contraída pelos países mais ricos do mundo. Depois da crise de 2008, a crise do “subprime” que provocou forte endividamento aos bancos e instituições da economia norte-americana e que resultou em influências para uma crise financeira global que pode ser verificada pelo desaquecimento econômico dos países mais desenvolvidos e pelos índices de desemprego divulgados. Agora existe um novo risco que tornou-se público para todo o mercado que foi a dívida da Grécia .

Na verdade o que está provocando tal instabilidade mundial ?

O governo grego a alguns anos vem realizando gastos desordenados e contraindo dívidas internas que exigiram medidas de reajuste para estabilização e acordo econômico. Mas isso não aconteceu. A Grécia gastou mais do que produzia superando um déficit orçamentário de 13% em relação a  seu PIB . O mundo ainda se recuperando da crise econômica de 2008 somando-se aos fatores desproporcionais do próprio país provocou maior recessão. Resultados: dívida pública, impostos altos as próprias pessoas, falta de transparência na divulgação de dados sobre o déficit orçamentário, desemprego, empresas falindo e outras deixando de produzir, protestos contra as ações do governo e a falta de soluções políticas necessárias de instante dessa causa.

Tendo em vista esses problemas, foi levantada a hipótese dos riscos que o país estava sofrendo e de possíveis suspensões de pagamentos pelo próprio governo grego difundindo-se assim a crise de agora. Essa situação ficou maior pela falta de cooperação e transparência do país em divulgar os dados de suas dívida causando ainda mais descréditos em torno do bloco e de que o país estava pior do que parecia com sua real situação. A UE(União Européia) em ajuda realiza empréstimos direto ao Banco Central Europeu e visa uma medida de prevenção contra a ausência de fluxo financeiro no país. Portugal e Espanha para não serem prejudicados adotam medidas de proteção interna.

Agora vemos que a dívida se multiplicou e causou o rebaixamento na nota de classificação dessa dívida. O FMI(Fundo Monetário Internacional) em 2010 procura estabelecer um pacote de medidas junto aos países europeus na tentativa de evitar um bloqueio da economia grega. Nessa fase de negociação com incapacidade de estabelecer um acordo entre as maiores potencias do mundo, aumenta-se as tensões nos mercados conspirando ao que estamos vivendo hoje desde então.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz

Theta no mercado de opções

Posted by admin | Posted in Estratégias com opções | Posted on 19-11-2011

Tags:gama, opções, theta, valor do tempo, vega

0

O mercado de opções é um pouco mais complexo que o mercado de ações, devido o fato deste possuir diversas regras a serem entendidas, para assim, de fato podermos realizar operações nele. Por exemplo, uma ação não tem prazo de validade, já uma opção tem e se você compra uma opção e não vende ela antes do seu prazo de validade (strike, exercício), você simplesmente perde o dinheiro que usou para fazer essa compra.

A opção é derivada de sua ação, por isso o mercado de opções também é conhecido como mercado de derivativos. O preço da ação oscila de acordo com a lei da oferta e demanda, expectativas da empresa, gráfico, entre muitos outros fatores. O preço da opção oscila, de acordo com o preço da ação além de umas variáveis conhecidas como gregas (delta, gama, vega, theta). Nesse post vamos falar apenas da theta. Para explicarmos sobre essa grega, vamos tomar como exemplo os preços de fechamento da OGX hoje:

OGXP3 = R$ 13,94
OGXPL14 = R$ 0,73

O valor de uma opção é igual ao valor do ativo subjacente – o preço de exercício da opção + aproximação do vencimento, no caso acima então seria, OGXPL14 = 13,94 – 14,00 + 0,035% x dias para o vencimento da opção. Faltam 21 dias para vencer a opção acima, se fizermos 0,035 x 21, vamos chegar a R$ 0,73. Em resumo, o theta é o valor do tempo, é essa ultima conta que fizemos 0,035 x 21, é um valor de expectativa apenas, conforme for se aproximando do vencimento e a ação permanecer em R$ 13,94 por exemplo, a opção vai cair porque a conta vai ser, 0,035 x 20, 0,035 x 19. Com isso, podemos ver que se a ação não subir, a opção tem grandes chances de cair porque o theta será cada vez menor, é só substituir a quantidade de dias para o vencimento da opção na equação acima para ver como ela pode cair em média, mesmo a ação se mantendo em R$ 13,94.

Operar comprado, opções OTM é muito arriscado, pois se a ação cair nós perdemos, se a ação manter o preço (nem subir, nem cair) perdemos um pouco do theta com a aproximação do vencimento, sendo assim, nossa única chance de obter lucro operando comprado opções OTM seria da ação subir muito, em pouco tempo. Realizar operações vendidas como a borboleta, venda coberta de opções, trava de baixa, entre outras que se utilizam do theta da opção para obter lucro, é sempre uma boa alternativa, pois ao longo dos dias sua operação tem mais chances de dar lucro já que nesse caso, o tempo será o maior aliado do seu investimento.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz